quarta-feira, 10 de maio de 2006

In The Black Room

Cavalheiro a quem me apraz exercer dedicação, encarecida e justificadamente me preita que mude a negra cor de fundo deste tugúrio calcinado em tributo à sua legibilidade (bem a carece de raiz, quanto mais de forma). E diligente me abeiro do template e contemplo as cores, os formatos, as fonts, imbuído de não cristã mas dedicação não obstante. Mas no assomo do click, a cisão do clickador refulge, e ainda que com todo o corpo voluntarioso a investir o seu não menosprezável peso em pirueta acrobática em cima do botão do rato, vejo-me incapaz de servir com a justa acção quem me demanda.
Parece-me que o problema é simples (apelando à compreensão da visceral incapacidade do escrevente de vergar o gesto à vontade de mudança): tal como com o meu corpo, creio que seria incapaz de olhar para sequer a suspeita da minha alma às claras.

4 comentários:

Bruno disse...

O conforto que o negro te confere é tão ilusório como a dissimulação da passagem destes escritos (ou do seu autor). O que te impões é um exercício de camuflagem no escuro, que não deixa de constituir uma forma de te programaticamente te vergares às ponderações de partida, no que ao template diz respeito. Provoco.

José da Silva Maurício disse...

.
"clicka-DÔR"!!!?!??!

A Língua Portuguesa é uma Língua criadora de Doentes - "Trabalha-Dôr", "Pensa-Dôr", "Computa-Dôr", "Mora-Dôr", etc, etc, etc, etc, e tu ainda te pois a INVENTAR MAIS PALAVRAS DOENTES?!?!?!?!

Vai dar uma curva. Ajuda mas é a .....


"Vamos acabar com a Língua Portuguesa para salvar Portugal"!!

Ora confirma.

“Os ESPANHÓIS evoluem. Os PORTUGUESES regridem!! E deixem de culpar os Políticos e as Políticas!”.
.
Coitados dos Portugueses e Coitados dos Brasileiros! Coitados dos Angolanos e dos Moçambicanos! (os 4 Povos mais CORRUPTOS da/o Europa/Mundo).
.
Coitados também dos Monarcas!
.
E tudo por CAUSA da Língua Portuguesa e do CLERO de tempos idos da Igreja Católica.
.
MONARQUIA: "Rei-Nú", Eu i-rei, eu se-rei, eu ganha-rei, eu- cantarei (mas nunca realizo esse futuro), "Dó-Na" Maria II, “Dó-Na” Isabel I, “Dó-na” Filipa de Lencastre, etc, etc, etc.
.
MULHERES: “Dó-Na” Dores, “Dó-Na” Sara, “Dó-Na” Ma.ria, “Dó-Na” AnÃ, “Dó-Na Viole.ta”, “Dó-Na” Ofélia, ……. O meu “Namora-Dó”. O meu “Amá-Dó”. Ele/a (filho/a) “Dor-Mia”. Tanta tanta PENA delas.
.
POLÍTICOS: "Demo-Cracia" (poder do Demónio), "Dê-Puta-Dó", "Parti-Dó" (de "Quebra-Dó", de inútil), "Poli-Tico" (Tico & Teco. Dois Esquilos). “Sida-Dão”,
.
PAÍS DE MENTIROSOS: “Politica Mente”, “Eficaz Mente”, “Eficiente Mente”, “Verdadeira Mente”, “Practica Mente”, “Teórica Mente”, “Social Mente”, etc, etc.
.
DOENTES: "Pensa-Dôr" (Gabriel o Pensa-Dôr que tinha dôr de cotovelo das Loiras), Trabalha-Dôr, Mora-Dôr, Eleva-Dôr, Desperta-Dôr, Computa-Dôr, Desenha-Dôr,....... milhares.
.
ANIVERSÁRIO: Quantos ANÚS tens?!
.
.
OUTROS EXEMPLOS EM: "As PALAVRAS ÚTEIS Portuguesas estão, PRACTICA-MENTE, todas XUNGADAS!", http://eunaodesisto.blogs.sapo.pt/2505.html
.
.
“A_Deus”.
.
.
ÚLTIMA HORA 1: Já são vários os Países Estrangeiros que descobriram – MAS EM PORTUGAL AINDA NÃO!!! - que os alunos Portugueses são coitadinhos.

Mas os Canadianos ainda não descobriram que é por causa da Língua Portuguesa! AI SE ELES DESCOBREM!

Ver: "Filhos de portugueses discriminados na escola", http://jn.sapo.pt/2006/03/05/ultima/filhos_portugueses_discriminados_esc.html

“as crianças luso-canadianas são "rotuladas como portadoras de deficiências de aprendizagem" e com menor grau de aptidões que a população em geral", o que cria estigmas e provoca o abandono escolar.”
.
.
ÚLTIMA HORA: Os Europeus não caíram na “Ladainha do Coitadinho”. Estão a ajudar Portugal a ACABAR COM A LÍNGUA Portuguesa.
.
Ver: “Parlamento Europeu aprova INDICADOR DE COMPETÊNCIAS LINGUÍSTICAS que exclui língua portuguesa”, in http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1255406
.
e Ver: “Língua Portuguesa EXCLUÍDA”, http://jn.sapo.pt/2006/04/28/primeiro_plano/lingua_portuguesa_excluida.html
.
.
PS: Os ESPANHÓIS evoluem. Os PORTUGUESES regridem!!
.
DOM Juan Carlos. DOM Quixote de La Mancha. Etc, etc, etc.
.
“Dó-Na” Dores, “Dó-Na” Sara, “Dó-Na” Ma.ria. Etc, etc, etc. AXIOMA: “Um País vale o que valem as suas Mulheres”.
.
.

mauricio_102@sapo.pt

Samuel Jerónimo disse...

Vou mais para o “In The End”.
Depois do concerto ganhei um fantasma ou se calhar é uma memória tão viva que deverá ser tida em conta na próxima contagem demográfica (Portugal ganhava mais uns quantos habitantes por casa): quando ouço qualquer coisa do Peter Hammill, mas especialmente as coisas mais inspiradas, vejo-o naquele palco.

julinho da adelaide disse...

Também não era declaração de preferência... Mas é boa escolha. Emparelha bem com a sua associada estilística que é «Easy to slip away». Não por acaso, as duas que menos vezes ouço. Mas isso é outra história. Quanto a crescimentos demográficos desses, tornam o conceito de sobrepopulação benvindo de incongruente... Ainda que o inverso também seja verdade: quem não o viu naquele palco nunca poderá imaginar a partir das coisas dele, mesmo que gravadas ao vivo, o que aquilo é. Nesse sentido, só pode mesmo ser memória fantasmática... Às vezes também são benvindas.