segunda-feira, 8 de janeiro de 2007

Semiologia à queima-roupa 6

Relia-se, e o que se reflectia era obeso, desajustado, incontinente, disforme, grotesco, macerado, séptico, disfuncional, espojado, despejado, lacerado, descartado, fugidio, espasmado, espasmódico, letárgico, sincopado, tendo como último reduto no equilíbrio do fio de prumo simular a transcendência do expresso pela assunção da sua ostensiva precaridade. Ao contrário do que reza a previsão do mundo, é terrível quando as coisas batem certo.

4 comentários:

Anónimo disse...

Lá isso é verdade.

julinho disse...

Se o dizes.
Olha, à tua atenção, o BSM (como será doravante conhecido) dissertou lá em baixo sobre a tua coerência narrativa e considerou-te hilariante (eu notoriamente não tenho nada a ver com isso). Só para o caso de a tua coerência narrativa lhe querer dar com a tua consistência ficcional na tromba.

Anónimo disse...

Que frieza, que horror. Agora que já és grande e conhecido é assim que tratas quem sempre te cuspiu em cima.

julinho disse...

Chlép...