sábado, 7 de outubro de 2006

Gone To Earth*

Na encurtada ao anedótico de lhe chamar temporada balnear, ao regressar um dia da praia por um arrevesado trilho na mata de íngremes feições estreitadas na intimidade da vegetação, já na minha hora de quase breu envolto nas cinzas do crepúsculo a exalar o último brasido, entrevejo um raposinho a cruzar o trilho à minha frente. Ele estaca na margem esquerda, e queda-se fitando-me até nos cruzarmos a centímetros. Nessa proximidade e reconhecimento asseguramos ser a terrível pureza dos elementos a única e mútua certeza que se queda da passagem, e seguimos caminho, nos viés de inventada encruzilhada acolhidos ao mesmo útero que conjuga os tempos e espaços que se cruzam no espectro que reúne um corpo, engolindo as retóricas e possessões. Estranha forma de pertença.

*parcialmente "sessão contínua na Barata Salgueiro 3"

2 comentários:

João M disse...

que bonito.

julinho da adelaide disse...

humm... devo ter cometido um engano feliz...