sábado, 19 de novembro de 2005

Contagem Borgesiana

Iniciou-se ontem, ao seguimento desta senda, o doravante contínuo e inexorável afogamento dos escritos que começaram a configurar um espaço, este, uma persona, a que aqui debita um falar.
Ontem, mais uma parte da sua existência começou a ser arquivada.
Doravante, o seu remanescente respirar é por nova via relembrado da pertença de seus frutos aos registos do olvido.
Ahh, arquivos... se fosseis tão somente metáfora, que não metonímia.

1 comentário:

lilac tree disse...

Já que já se aperceberam, até o comentaram e não pareceram importar-se, não resisto a mais um (e em boa verdade se diga que este blogger tem feito isto crescer mais em comentários do que em posts, por isso dá-me o direito): A forma como ele se lhe dirige - Yester - deixa-me enternecida. É a primeira blogonovela a que assisto e é como as outras, cada vez que me atiro a mais um episódio, penso «porque é que ainda perco tempo com isto?». Ai, mas como sabe bem uma fuga à realidade e eles, no fundo, são uns fofos!