quarta-feira, 15 de fevereiro de 2006

Homo Homo Oecunomicus

Noticiava o Público, basto tempo ido, nas funny news, que um cinema em Itália iria atribuir 50% de desconto no bilhete de admissão ao "western gay" (ó por favor...) "Brokeback Mountain" a quem se identificasse como homossexual no acto (da compra) (do bilhete) (para o cinema).
Não nos equivoquemos. Isto não é uma curiosidade, nem indicador espúrio de qualquer tendência cultural. ISTO é o método experimental mais sofisticado que os modelos economicistas abstractizantes podem vir a sofrer nos seus pressupostos a mimetizar modelos "exactos" para a racionalidade económica.
É muito simples: ou 100% dos espectadores nesse cinema se apresentam como declarados homossexuais (independentemente das suas devoções sexuais - haveria que fazer uma inquirição pós-acto para verificar da diversidade da amostra, talvez com sensores na genitália e filmes "estimulantes" como se deve empregar hoje em dia para averiguar da "pureza" no ingresso seminarista), e assim a noção de homo oeconomicus ganha fulgor de cientificidade e insuspeitas virtudes sociais; ou, caso contrário, um prego de ouro se martela no caixão nunca suficientemente enterrado no corpus desse homo. Your ass is on the line.

2 comentários:

PK? disse...

«Não me calha uma inquiriçãozinha...?!»

julinho disse...

Seria uma reversão interessante: empregar o lúdico no dispositivo de inquirição. Todos o pudessem fazer, e os panópticos começavam a exibir as brechas.